Como Funcionam as Tendências?

Com certeza se você nasceu depois dos anos 90 já ouviu falar pelo menos uma vez em termos como “cool hunter” e “trendsetter“. Com certeza já foi apresentado à tendências comportamentais, e à geração Y e Z, que já foi citada em alguma de suas aulas de jornalismo ou publicidade. Sim, fazemos parte de uma novo mundo com novas profissões, novos grupos geracionais que se tornam intergeracionais e novos termos para definir coisas velhas. Dai pergunto a vocês: o que tudo isso tem haver com o título desse texto? Tudo.

Cada um desses fatores – misturado com muitos outros – é levado em conta na hora da definição de uma tendência, que pode ser macro, ou micro, mas nunca macro sem ter sido micro. Confuso? Para que seja fácil de compreender como chegamos ai, é preciso entender algumas definições.

As vezes tendências podem ser confundidas com ondas ou moda (modismos). Ondas tem curta duração e funcionam como uma febre, como quando tínhamos 14 anos e usávamos aquelas pulseirinhas de silicone coloridas para trocar com os amigos, ou quando íamos jogar Tazo com os colegas de classe no intervalo. Isso é uma onda: passa rápido, vira febre e todos querem ter, mas em 3 meses todo mundo já se esqueceu.

Os modismos são ciclos que vem e vão, tem altos e baixos com um boom em determinadas épocas, desaparecendo completamente em outras e ressurgindo anos depois, como as calças boca de sino ou a cintura alta.

mapatrends

Ok, entendida a diferença entre onda e moda chegamos a pergunta: O que são as tendências?

Muito simples: as tendências trazem ordem e direcionam o mundo caótico pós moderno, dividindo em grupos as diferentes mudanças na sociedade sendo aplicadas em diversas áreas da cultura contemporânea. Elas são sinônimo de comportamento, servem para entender o que se passa no mundo naquele momento e o que os acontecimentos presentes desencadearão no futuro.

Para identificá-las e decodificá-las existe um processo complexo que conta com a participação de profissionais de pesquisa chamados cool hunters, que saem pelas ruas ao redor do mundo observando pessoas em seu habitat e procurando por algo inusitado, diferente, que indique o nascimento de algo novo. Achadas 3 ocorrências inusitadas em lugares distintos há uma suspeita de tendência ou seja, algo que deve ser observado com mais atenção e mapeado para ser estudado pelos cool searchers, sociólogos que vão interpretar e criar um quadro daquilo que foi encontrado nas ruas.

As tendências são divididas entre macro e micro tendências. As micro são aquelas que não aparecem com muita força e estão localizadas apenas em regiões isoladas. As macro misturam informações de diversas áreas e se apresentam em grande escala, por exemplo, não apenas na Europa, mas também no Brasil e EUA. Para se tornar uma macro tendência, ela foi antes uma micro tendência que foi se propagando.

É muito importante lembrar que quando falamos em tendências não estamos de maneira alguma limitados ao mundo da moda, como dito anteriormente, elas são comportamentais e são geradas a partir de uma contra tendência que se propaga por contágio de acordo com uma hierarquia “criadores e seguidores” que vai desde a criação até a massificação de comportamentos. Essa hierarquia segue a seguinte ordem:

trend

Trend creators – pequeno grupo de pessoas curiosas que sabem bastante sobre determinado assunto. Normalmente não são bem relacionados. Funcionam pela intuição.
Trend disseminators – são super conectados e se relacionam muito bem. Têm carisma mas não tanto conhecimento como o trend creator. Têm medo de assumir os riscos ao adotar uma contra cultura.
Trend Followers – São os seguidores. Se acham cool, farão igual.
Early Maistreamers – Massa. A tendência está entrando em estágio de difusão.
Mainstreamers – Super massa. Só adota quando a tendência mostra suas vantagens.
Late Mainstreamers – atrasados, são os últimos a adotar.
Anti – Innovators – Contra a qualquer tipo de inovação

Após todas as tendências serem definidas e filtradas, recebem nomes de acordo com a empresa que as definiu. Entre as empresas mais famosas mapeando o Brasil estão a Stylesight, Ipsos, Future Concept Lab, WGSN entre outras. Essas empresas vendem o resultado de suas pesquisas e logo, são eles os responsáveis pelo o que estará nas vitrines pelos próximos 3 ou 4 anos. Após esse tempo, novas tendências são mapeadas e vendidas, reiniciando o ciclo.

Termino esse texto com uma reflexão: fazemos e gostamos das coisas que fazemos e gostamos porque queremos ou porque uma série de sinais subliminares nos disse que assim seria?

Comentários

Formada em Negócios da Moda, apaixonada por música e cinema mas que é meio publicitária.